27 outubro 2014

"Bullying - Matando Aula", L. L. Santos

"Bullying - Matando Aula"
L. L. Santos
Clube de Autores
Brochura, 301 páginas, Ano: 2012
Links alternativos: Skoob - Goodreads - Macaco Pensador
Sinopse:
Uma sala de aula de um colégio público tem a surpresa de conhecer a morte sem precedentes, quando um homem mascarado entra armado de um revólver e decide que este será o último dia de aula. Durante os momentos fatídicos, os estudantes mostram-se tão macabros quanto o estranho que os colocara na mais desesperada situação de suas existências. Ódio, medo, amor, preconceito, racismo. Imperam as diferenças sociais entre alunos que fariam de tudo para saírem ilesos. Inclusive matar seus colegas. Um retrato da sociedade educacional do Brasil. Um episódio que possui tentáculos em todas as direções que se pode imaginar. Chacina é a palavra-chave para por um fim a tudo! Porém, não é apenas a violência, mas a história de vários personagens que são retratos de um mundo real. E principalmente, com relação a quem tanto sofrera quando criança, nas mãos de outras crianças. Mostrando que uma tragédia que acontece "hoje" pode ter sido semeada a muitos anos atrás. E por este motivo, apenas ficou encubada... Algo que poderia ser evitado. Usando da educação familiar e também com ações de cidadania das instituições de ensino.

Quando fiquei sabendo que iria receber um exemplar desse livro para mostrar minha opinião sobre ele aqui no blog, fiquei maluca de felicidade, lógico que antes de topar a proposta eu tive que ler a sinopse do livro e quando o fiz, fiquei mais ansiosa ainda para ler, visto que se trata de um assunto tão importante ainda feito de mistério e drama, nossa, mal pude esperar.


Intrigante. Realista. Misterioso. 


O livro começa contando a história de uma criança que passa por bullying na escola e que naquela época, apesar de não ter um "nome bonito", existia sim e as pessoas tratavam como se fosse besteira, mas desde aquela época o bullying já vinha deixando marcas profundas e imutáveis no emocional e no físico de crianças e adolescentes, que cresciam ou repassando a violência ou com problema emocionais sérios. O interessante desse livro é o modo como o autor consegue prender a nossa atenção mostrando um pouco da vida crítica de todos os principais personagens envolvidos na história, ele deixa claro que o que faz um bulinador é o ambiente em que cresce, desde criança já inserido num ambiente machista, preconceituoso e violento, reproduzindo os mesmos atos violentos contra pessoas diferentes do padrão, mais frágeis, etc. O universo das escolas públicas é tratado aqui de uma forma bem simples e direta: os pais deixam os filhos no colégio colocando a responsabilidade de educá-los sobre a instituição e os professores, sem se preocuparem em passar para os filhos o amor, a educação e os exemplos necessários para um bom crescimento do ser. A escola nada pode fazer além de passar aos alunos (ou pelo menos tentar) aquilo que lhes é devido, conforme as regras e normas estabelecidas pelo sistema que rege a rede pública de ensino. Os professores sofrem com a violência dentro das escolas e nada podem fazer por medo de represálias, cansados, obrigados a ensinar de um modo cansativo e obrigatório (que não ensina mais nada e é tão retrógrado quando o penico) enquanto os alunos "diferentes" do padrão sofrem o ódio gratuito e a violência por parte dos que assim fazem parte do "padrão" ou que apenas querem veicular a violência gratuita como modo de reproduzir aquilo que acontece no ambiente onde vivem. A trama toda acontece de uma maneira que você suspeitava que iria acontecer, mas acha que não vai acontecer, deixando assim você no suspense e na surpresa, é muito gostoso de ler. Leiam.


Os personagens desse livro são cada um mais problemáticos que os outros. Um é negro, outro é gordo e só pensa em comer, uma é linda e virgem, outra é super inteligente e rica, outro é forte, sarado e tão "inteligente" quanto uma parede, entre tantos alunos que dentro ou não do padrão, sofrem preconceito e violência apenas por serem do jeito que são. Personagens com conflitos internos e histórias das mais variadas possíveis, você vai perceber que toda a história e o ambiente de vivência de cada um tem tudo a ver com o modo como pensam e agem. Não há muita ligações entre cada um não, na verdade, quase não há nenhuma e as que existem, são fracas e passíveis de quebrar como uma linha de costura de 5ª categoria.


O desing gráfico do livro me assustou um pouco quando vi, mas é bem chamativo e tem tudo a ver com a história, só lendo para entender. O legal é o título "Bullying" rachado ao meio, representando bem as consequências que esses atos de violência conhecidos como bullying, por mais "inocentes" que possam parecer para muitos, causam feridas e rachaduras na vida das pessoas que passam por isso, impossíveis de serem remendadas, achei bem interessante. A folha é branca normal e bem resistente, a leitura é fluida e você come o livro em pouco tempo, se você não estiver com uma ressaca literária sem fim como eu hahahaha. 

Recomendo a quem gosta de histórias baseadas em fatos reais, críticas e com certo toque de humor negro. A maiores de 16 anos, principalmente, devido ao conteúdo violento e bem realista. A quem gosta de comer livros e de mistério e suspense, porque para mim foi bem misterioso e me surpreendeu bastante.


Isso é tudo, pessoal.
Comentem aqui embaixo o que acharam do livro, se já leram, o que esperam do livro, etc.
Até a próxima!
Beijos da Mi:*

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Quero muito ler!!!!

    www.brunasotte.com
    Facebook; https://www.facebook.com/pagebrunasotte

    ResponderExcluir

Fortaleza, 22 anos, ariana, potterhead, narniana, whovian, shadowhunter e muitas outras atribuições. Livros, música, cinema, fotografia, artes, geekices e nerdices são minhas paixões. Uma pequena garota com grandes planos de se aventurar pelo mundo.

 

Wanderlust ©2013-2017. Todos os direitos reservados.

Design, Layout e Programação por Micaela Ramos.

----Voltar ao Topo----