08 outubro 2013

"A maldição do tigre", Colleen Houck

"A maldição do tigre"
A Saga do Tigre, Livro 1.
Colleen Houck
Editora Arqueiro
Brochura, 352 páginas, Ano: 2011, ISBN: 9788580410266
Média de preço: R$20,00.
Nota: 5 estrelas
Sinopse:
Paixão. Destino. Lealdade.
Você arriscaria tudo para salvar seu grande amor?
Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco.
O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço.
Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.
A maldição do tigre é o primeiro volume de uma saga fantástica e épica, que apresenta mitos hindus, lugares exóticos e personagens sedutores. Lançado originalmente como e-book, o livro de estreia de Colleen Houck ficou sete semanas no primeiro lugar da lista de mais vendidos da Amazon, entrando depois na do The New York Times.
“Um romance delicado e uma aventura capaz de deixar o coração a mil por hora. Eu vibrei e roí as unhas. A maldição do tigre é mágico!” – Becca Fitzpatrick, autora da série Sussurro.
Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele.
A Maldição do Tigre, é, com certeza, um dos melhores romances que eu já li. Uma história envolvente, com personagens impressionantes e que nos leva a querer ler a todo momento a próxima página, e por fim, o próximo capítulo.

O projeto gráfico é lindo, eu fiquei totalmente apaixonada pela capa, além de ser azul (minha cor favorita), é brilhante, cheia de caracteres e traços especiais e envolventes que nos remete ao país de enfoque do livro, Índia, com sua cultura, sua culinária, suas cores, tons e os mais diversos ensinamentos e crenças. A folha é pólen, o que torna a leitura melhor, pois absorve mais a luz, de modo que podemos ler mais rápido sem cansar a vista e então leremos mais livros em menos tempo. Os capítulos não são grandes, o que torna mais rápido a finalização do livro e a linguagem é ótima, fluida, leve, que escorrega e dá pra gente ler por horas sem nem ao menos perceber quanto tempo passou.

A protagonista, Kelsey Hayes, é uma garota com uma aparência normal, mas ela possui algo que a difere de todas as outras: o seu conteúdo. É uma garota que não preza apenas a beleza, mas também a inteligência. Ao procurar um trabalho, ela acaba trabalhando em um circo fazendo as atividades secundárias, como limpeza e o tratamento dos animais. No entanto, ela acaba conhecendo um tigre branco misterioso do circo. 

O que me chama atenção em Kelsey é que ela consegue realmente se infiltrar em minha personalidade e ter certos pensamentos que só eu achava que tinha, ela consegue ser forte, lutar, ser guerreira, corajosa, lidar com o desconhecido, abandonar toda uma vida de segurança e abraçar algo que não conhece e não sabe o futuro, isso é realmente impactante para uma garota, principalmente quando tantas por aí estão mais preocupadas com a marca da próxima roupa ou com a próxima química que colocarão no cabelo. Kelsey consegue ser um pouco de mim e acredito que um pouco de cada leitora que leu avidamente as páginas desse livro.

O modo como a autora conseguiu trazer para os leitores a cultura indiana, interpondo a religiosidade e diferença de culturas, isso foi fantástico. Até hoje nunca vi um livro de fantasia sobre a Índia que seja tão rico em abordar diversos pontos do que, para mim, mais se destaca nesse belo país: a espiritualidade. Os indianos possuem uma espiritualidade muito forte e singular, cada grupo social adora ao seu Deus ou Deusa e pertence à religião que é devotada a esse Deus ou Deusa, o que me chama a atenção, tirando o fato dos conflitos religiosos tão fortemente intrínsecos no povo.

O relacionamento entre os personagens é tão especial, forte. A autora procura desenvolver algo especial entre os seus personagens, de modo que mesmo em tão pouco tempo, eles já estão tão íntimos a ponto de alcançarem um nível diferente e especial de comunicação. Além do relacionamento de Kelsey com seus pais adotivos e seus irmãos, que para mim é fascinante a maneira como eles se preocupam com ela sem afetar em nada a vida dela ou se intrometer em suas decisões.

É uma história que envolve tanto mitologia quanto cultura indiana. Não só seres monstruosos que enfrentarão, mas também brigas entre os dois personagens principais, que tendem a não se renderem tão facilmente às artimanhas do coração.

"Quando a jaula do tigre passou diante de mim, tive uma vontade súbita de acariciar-lhe a cabeça e confortá-lo. Eu não sabia se tigres podiam demonstrar emoções, mas por algum motivo eu tinha a impressão de que podia sentir seu estado de espírito. Parecia melancólico." - Kelsey 

Postagem feita em parceria com A Irmandade dos Livros. Todos os direitos reservados.


Fanpage ♥ Twitter ♥ Instagram ♥ Youtube ♥ Skoob ♥ Tumblr

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Fortaleza, 22 anos, ariana, potterhead, narniana, whovian, shadowhunter e muitas outras atribuições. Livros, música, cinema, fotografia, artes, geekices e nerdices são minhas paixões. Uma pequena garota com grandes planos de se aventurar pelo mundo.

 

Wanderlust ©2013-2017. Todos os direitos reservados.

Design, Layout e Programação por Micaela Ramos.

----Voltar ao Topo----